Cumulonimbo

Cumulonimbo

domingo, 13 de março de 2011

Reportagem Fotográfica / Neve / Serra de Água de Pau @ São Miguel / 13 mar '11

No dia 13 de março de 2011, verificou-se queda de neve em várias ilhas dos Açores, nomeadamente São Miguel, onde a temperatura mínima em Ponta Delgada chegou aos 7 graus. Nesta ilha, mais concretamente na Serra de Água de Pau, observei queda de neve durante a tarde. 
Depois do almoço, quando começou a cair alguns aguaceiros, fui, por precaução, à janela do sótão verificar se a serra tinha algo de interessante, como era hábito nas poucas vezes que choveu naquele dia. Foi então que notei, ao longo dos vários montes que a constituem, um nevoeiro abrangente, mas esparso, mais parecido com uma neblina, porém, com uma característica especial: a neblina "escorregava" suavamente pelas encostas, muito devagar, apresentando uma densidade variável. Continuei a acompanhar e a neblina parecia não ter um fim: à medida que descia, era trazida cada vez mais neblina desde o topo.
Neste contexto, apressei-me e, dentro de minutos, estava a iniciar a subida à serra. Então, aos 600 metros de altitude (confirmei o relevo da zona com um mapa topográfico), quando o termómetro do carro registava 5/4 graus, a chuva moderada a fraca que caía começou a reduzir de intensidade até parar, à medida que via já no monte em frente o que parecia ser flocos de neve. Aproximei-me, e no vidro do carro começaram a cair esses tais flocos, que imediatamente derretiam ao tocar no vidro, passando logo de seguida a acumular algum gelo com água. No entanto, na paisagem, nenhum vestígio de neve ou gelo: tudo derretia instantaneamente ao tocar o chão. 
Avançando pela montanha acima, o carro começou a emitir um alerta de perigo de gelo, enquanto já marcava 3 graus. Nesse momento, parámos durante alguns minutos, até acalmar. Foi aí que tirámos mais algumas fotos à neve que caía perto do topo.
Rumámos, então, ao cimo da serra; porém, só conseguimos chegar aos 900 metros: quando chegámos a um pequeno planalto, encontrámos uma paisagem rara e incrível: o solo estava todo coberto de branco! As bermas da estrada tinham gelo em quantidade considerável, e até verifiquei que alguns carros dos muitos que estavam a chegar chegaram a derrapar por breves instantes na própria estrada, onde havia bocados de gelo a derreter lentamente. Os 2 graus de temperatura, associados ao vento intenso, davam uma sensação de ainda mais frio; todavia, isso não impediu que bastantes pessoas fossem aproveitar o momento na neve!
Eis aqui os meus registos mais interessantes. 



















Sem comentários:

Publicar um comentário