Cumulonimbo

Cumulonimbo

sábado, 10 de dezembro de 2016

Vento muito forte / Grupos Ocidental e Central / 7 dezembro '16

Devido a uma depressão em forte cavamento, cujo núcleo passou perto do grupo ocidental, a noroeste, registou-se uma descida muito significativa da pressão atmosférica, que atingiu os valores mínimos de 985,7 hpa nas Flores e de 985,8 hpa na ilha do Corvo.
No entanto, o efeito mais significativo foi o vento muito intenso que se registou quer no grupo ocidental quer no central, especialmente durante o início de noite do dia 7 de dezembro. De seguida são mostrados os valores de vento médio e rajada máxima registados em todas as ilhas aquando da passagem desta depressão (valores IPMA, em km/h):

Corvo (aeródromo):102/147
Flores (aeroporto):72/115
Faial (aeroporto):72/150
Faial (Observatório Príncipe Alberto do Mónaco):72/141
Pico (aeródromo):44/89
Graciosa (aeródromo):53/93
Terceira (Observatório):50/94
São Miguel (aeroporto):46/79
São Miguel (Nordeste): 27/68
Santa Maria (aeroporto):55/76

Por motivos desconhecidos, não foram apresentados valores relativamente a São Jorge, embora se saiba que uma estação meteorológica particular, localizada na Vila do Topo registou uma rajada máxima de 127 km/h.

Os valores de vento da ilha das Flores podem não refletir inteiramente a situação real, pois o aeroporto da ilha situa-se na zona Leste, ficando parcialmente abrigada do quadrante dos ventos.

De notar que pelo que tenho conhecimento, as rajadas mais fortes registadas no Faial e São Jorge foram acompanhadas de chuva muito intensa na passagem da frente associada à depressão.



Citando uma notícia do site Notícias do Minuto:

«O presidente da Câmara do Corvo, José Manuel Silva, disse à agência Lusa pelas 22:00 locais (mais uma hora em Lisboa) que "três habitações sofreram danos, em janelas, portas e cobertura numa delas", assim como a "esplanada de um restaurante que foi destruída parcialmente", não havendo vítimas a registar.
Na vizinha ilha das Flores, que com o Corvo integra o grupo ocidental do arquipélago, "há pequenos danos materiais num telhado e num portão que o vento arrancou", adiantou o presidente da Câmara das Lajes das Flores, Luís Maciel.
"Não é nada de muito significativo", declarou Luís Maciel, salientando que trabalhadores da autarquia mantêm-se a postos para qualquer eventualidade.
Na mesma ilha, no concelho de Santa Cruz das Flores, "não há ocorrências a registar", sendo que "os bombeiros ainda não saíram do quartel", declarou o presidente da autarquia, José Carlos Mendes.
"O vento está a soprar com muita intensidade, mas não há cortes de eletricidade, nem estradas obstruídas", esclareceu José Carlos Mendes.»

 Citando agora uma notícia da TSF, segundo a qual se registaram 18 ocorrências (em seis ilhas, dos grupos ocidental e central):

«Dos 18 incidentes registados entre as 20:00 e cerca das 23:30 locais (mais uma hora em Lisboa) de quarta-feira, 13 reportam-se a danos em casas e, destes, sete tiveram lugar na ilha do Faial.
Há, ainda, registo de quedas de árvore e uma inundação em via pública.»

Ainda quanto aos danos materiais, no Faial é conhecida a queda de árvores e telhados danificados, em especial na freguesia das Angústias. Além disso, alguns sinais de trânsito ficaram dobrados na horizontal com a força do vento.

Segue-se um video captado por Kathy Rita, na ilha do Corvo, aquando da passagem do temporal:
 https://www.facebook.com/kathy.rita.73/videos/10211144994883915/

Sem comentários:

Publicar um comentário